SABEDORIA

Como é feliz o homem que acha a sabedoria, o homem que obtém entendimento, pois a sabedoria é mais proveitosa que a prata e rende mais que o ouro. É mais preciosa que rubis; nada do que você possa desejar se compara a ela. Na mão direita, a sabedoria lhe garante a vida longa, na mão esquerda, riquezas e honra. Os caminhos da sabedoria são caminhos agradáveis e todas as suas veredas são paz. (Provérbios 3:13-17)

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

VOU-ME EMBORA PRA MINHA PASÁRGADA

Vou- me embora pra minha pasárgada
lá caminho estreito entre lágrimas e vento
lua, suave observo a escuridão
Atento, sussurro lábios em triste tom
meus passos pesados pela madrugada
ecoam profunda dor
gritando alto sangram frio e cruel passado

Vou-me embora pra minha pasárgada
lá, nas lápides não há lembranças
das noites de vassidão herética
frente ao cemitério calado e escuro
cujos fantasmas pactuam em ritos
com toda a sorte de dor
num reino esquecido de névoas e sombras
em algum lugar do coração

Vou- me embora pra minha pasárgada
onde sou a brisa gélida que espreita catacumbas
vagando certeira, buscando moribundos
que antes mesmo que se retirem para as tumbas
sentirão arder na carne a perdição de mil mundos

Vou-me embora pra minha pasárgada
mórbida, prossegue a procissão
um coro intenso leva as vozes em prantos
desatando em desespero sublime
doce alimento, predatória refeição
dos pássaros carniceiros mergulhando
na própria sorte a cerca da morte

Vou-me embora pra minha pasárgada
lá há um lindo campo
rodeado por paisagens verdes e floridas
onde poderei deitar sobre duas árvores de cerejeiras
onde a morte esperada, como um tumor no peito
chega com a falta de ar, o desespero
vou-me embora...

Releitura de Charles Muller (3º ano EM)

19 comentários:

  1. Olá Elzenir
    Acredito que todos nós temos uma pasárgada, onde sempre estamos nos refugiando, onde nossos sonhos podem acontecer e a dor nos doa memnos.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. Charles Miller Fagundes de Araujo25 de agosto de 2010 11:46

    Meu poema.
    O Blog, ficou legal, como te falei gosto de poemas, apesar de não ser bom para memorizar os autores nem eles.

    Mas parabéns, talvez eu refaça o meu =D

    ResponderExcluir
  3. Minha querida
    Muito lindo este poema.

    Deixo beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  4. Wander, tinha a ideia de fazer a minha releitura do poema de Manoel Bandeira, mas Charles me mostrou a releitura dele, então, está aí. Ainda não desisti da minha. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Charles, a poesia nasce na alma de seres sensíveis, não precisamos memorizar poemas porque os temos talhados na alma. Parabéns, meu aluno, por criar com muita autenticidade sua Pasárgada. Bjs

    ResponderExcluir
  6. Sonhadora, lembrei-me de vc mesmo quando o li, pois sempre nos apresenta poemas de aguda dor, mas belíssimos. Bjs

    ResponderExcluir
  7. Todos temos um paraiso perfeito...

    Poesia bonita.

    Fique com Deus, menina Elzenir.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Essa poesia me deu medo. Tenso.
    O vídeo da postagem anterior eu gostei. Fiz comentário lá também.
    Abraço

    ResponderExcluir
  9. Bonita a "releitura" do seu aluno!
    Esse poema "persegue-nos" com a beleza dos versos, a cadência única, e a utopia do reino de Pasárgada, o Paraíso Perdido?
    Um beijo grande
    falcão

    ResponderExcluir
  10. Sabias que és um dos meus amig@s? Venho agradecer-te por existires e seres um del@s...! Se vais ao meu blog saberás a que me refiro... e se queres levas contigo o regalo que, com muito carinho, está pensado para pessoas como tu...!
    Mereces mais..., mas é o melhor que posso dar-te hoje... És um presente para mim... E é o que eu posso oferecer-te, hoje, a ti... El Puente

    Um abraço.

    Sergio

    ResponderExcluir
  11. Te saludo con cariño, y me doy cuenta que una cierta nostalgia inunda tus palabras...
    Un beso!!

    ResponderExcluir
  12. Daniel, todos nós temos nossa Pasárgada e cada um a cria de forma peculiar. Bjs

    ResponderExcluir
  13. Anderson, percebi em Charles uma busca de sua identidade, ele sempre começa seus poemas de forma sombria, mas no final procura a luz em paisagens plácidas e repousantes. Ele está em busca de si mesmo. Mas sei que ele é luz. Bjs

    ResponderExcluir
  14. MJ FALCÃO.Neste poema Charles acredita que a Pasárgada seja a morte e a chegada ao paraíso. Passa por lugares sombrios até repousar tranquilo. Bjs

    ResponderExcluir
  15. Carmem, saudades de vc. A nostalgia é o tempero da vida, por ela lembramos de momentos felizes. Obrigada pelo carinho.Bjs

    ResponderExcluir
  16. Que interessante, adorei... todos nós temos essa necessidade em algum momento da vida, e/ou em alguns momentos...beijo, beijoooooo Lindona!

    ResponderExcluir
  17. Sim, Charles está se descobrindo...Bjs, amiga.

    ResponderExcluir
  18. Faz tempo desde esse poema..
    Boas lembranças.
    By: Charles Muller...

    ResponderExcluir
  19. Novamente, faz tempo desde esse poema.
    Ótimas lembranças.
    Atenciosamente, Müller, Charles ~

    ResponderExcluir

Releituras