SABEDORIA

Como é feliz o homem que acha a sabedoria, o homem que obtém entendimento, pois a sabedoria é mais proveitosa que a prata e rende mais que o ouro. É mais preciosa que rubis; nada do que você possa desejar se compara a ela. Na mão direita, a sabedoria lhe garante a vida longa, na mão esquerda, riquezas e honra. Os caminhos da sabedoria são caminhos agradáveis e todas as suas veredas são paz. (Provérbios 3:13-17)

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

NEGAÇÃO


Então, mais uma vez você se foi...
não vou me trancar no quarto ouvindo músicas de autopiedade
nem mesmo buscar seus olhos misteriosos nas manhãs de domingo
não chove aqui para aumentar minha penúria
tenho um mundo clamando ao meu redor

Ouço vozes a me chamar retirando-me de uma teia de dor
não quero um olhar de pena e um aceno ao longe
nem palavras bonitas que soavam em meu ouvido
não quero sua voz melodiosa que me falava em poesias

Nego o riso que arrancavas de meus lábios
e o brilho que implantaste em meus olhos
ando em círculos, mas não paro no mesmo lugar
giro em danças efêmeras e acendo o cigarro da razão

Devolvo as flores que me trouxeste  com carinho
quem sabe elas não falem, mas enxuguem suas lágrimas
se sufocas o choro em um canto, jamais saberei
não há pesares aqui e nem arrependimentos
nego todos os desejos, mas não me escondo da saudade

Elzenir Apolinário


4 comentários:

  1. Passei e encontrei o seu blog, estive a ver e ler algumas coisas, não li muito, porque espero voltar mais algumas vezes,
    mas deu para ver a sua dedicação e sempre a prendemos ao ler blogs como o seu.
    Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante,e se desejar fazer parte de meus amigos virtuais, esteja à vontade, irei retribuir.
    Mas por favor não se sinta coagido, siga apenas se desejar. deixo a benção de Deus.
    António.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Antônio Jesus, seria uma coação cultural mto prazerosa. Vou visitá-lo. Abçs

      Excluir
  2. Há um abismo paradoxal, quando nossos olhos veem distanciar-se aquilo de que o reflexo dentro de nós fica. Teu poema é esse abismo. Belo e inquietante como o final de um livro, de um filme, de um drama cujo final não planejáramos assim enquanto a leitura, o enredo ou os atos transcorriam. Trazes um condão em tuas mãos. Toda tecla que tocas, quando escreves, gera encantamento. Belíssimo. Beijossssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, sempre um prazer ler seus comentários. Minha autoestima vai aos píncaros...rsrs...Abçs

      Excluir

Releituras